Boa relação entre credor e devedor
Intermediação entre as partes deve ter respeito, transparência e segurança nas informações 19/06/2013 04:32
» Luiz Felipe Rozensvaig
Com muitos casos de cobrança indevida registrados hoje em dia, a ação se torna cada vez mais delicada nas empresas. Para Luiz Felipe Rozensvaig, gerente de operações da Proativa Cobrança, a ação indevida nesse processo pode ser evitada quando a empresa tem foco na solução do problema, intermediando credor e devedor, de forma a ajustar um bom acordo. "Deve-se apresentar soluções claras, garantindo informação e segurança ao devedor, como forma de respeito e transparência", diz Rozensvaig. O executivo condena o uso de ferramentas e argumentos inadequados. "Não pode forçar o acordo, sem se preocupar com a qualidade do fechamento. Ou buscar apenas o recebimento, sem se preocupar com a imagem do seu cliente, sendo agressivo na comunicação. Nem expor o devedor ao ridículo ou situação em que ele se sinta ameaçado ou em condição desigual de quem trata com ele", diz.

Para Rosensvaig, o modelo de cobrança precisa sempre ser atualizado, com a intenção de melhorar o desempenho da empresa. "Para que o resultado se potencialize e o devedor, cada vez mais esclarecido, como se encontra hoje, tenha interesse em liquidar o débito daquela empresa em específico, pois o negociador foi capaz de lhe tocar algum valor pessoal diferenciado", afirma. O executivo destaca também, a importância de maiores informações fornecidas pelos credores para as empresas de cobrança terceirizadas, o que tornará a ação mais assertiva, lucrativa e eficiente. "A empresa de cobrança tem obrigação de partir do pressuposto de que se seu cliente lhe enviou um débito, ele é devido. Logo, a informação recebida deve ser precisa, assim como as atualizações cadastrais e da dívida", declara.

O gerente acrescenta a importância de uma boa relação de confiança entre a empresa credora, a assessoria de cobrança e principalmente o devedor, que deve ser bem atendido, tornando possível a fidelização do mesmo em sua volta ao mercado de consumo. "Ele não é devedor, ele está devedor e em processo de recuperação, para que volte ao mercado em condições de circular capital de forma consciente, em um ciclo virtuoso de mercado", conclui.
Matérias Relacionadas

Compartilhe

Twitter Facebook Linkedin
Mais Lidas
  • TVip »
Total de vídeos: »
http://www.portalcreditoecobranca.com.br